Encontre seu VIC

Receba
dicas e promoções
por email


    Como funciona a comprovação de renda para um financiamento imobiliário?

    Um dos requisitos mais importantes no processo de compra de um apartamento é a comprovação de renda. Esse é um ponto que gera muitas dúvidas e até mesmo receio de não ter o cadastro aprovado devido às exigências. 

    Depois de pesquisar e encontrar a casa dos sonhos é hora de iniciar as negociações do financiamento. Além dos documentos pessoais, você terá que comprovar que tem condições financeiras de arcar com o valor das parcelas. 

    Existem alguns tipos de comprovação de renda e foi pensando nisso que criamos este post. Nele, você vai entender melhor sobre essa etapa do processo. Continue lendo e veja quem pode financiar um imóvel e se é possível sem comprovar a renda!

    O que é comprovação de renda?

    É um conjunto de informações documentadas que atesta a capacidade financeira de constituir um financiamento e quitar as parcelas negociadas. O financiamento imobiliário, por exemplo, costuma ser um compromisso de longo prazo. 

    Com isso, a comprovação de renda mostra se quem pretende investir em um imóvel conseguirá efetuar os pagamentos sem comprometer demais o orçamento. As práticas do mercado imobiliário preveem uma parcela de até 30% do valor da renda comprovada.

    Como comprovar renda para um financiamento imobiliário?

    Existem algumas formas de comprovação de renda, o que depende dos seus ganhos, ou seja, se você é um trabalhador CLT, funcionário público, autônomo ou MEI, por exemplo. O principal tipo de comprovante é o holerite ou contracheque, solicitado para quem tem um trabalho formal, de carteira assinada. 

    A exigência de comprovação também varia de acordo com a construtora ou instituição financeira responsável pela venda do imóvel. É possível também comprovar a renda por meio de extratos bancários ou declaração anual do Imposto de Renda. 

    Pela Caixa Econômica Federal, banco líder em financiamento imobiliário, a comprovação da renda ocorrerá conforme o tipo de financiamento. É que o banco é responsável pelos programas habitacionais como o Casa Verde e Amarela (com foco na população de baixa renda) e Habite Seguro (específico para os profissionais de segurança pública).

    Como funciona a comprovação de renda?

    No início da negociação você terá que apresentar uma série de documentos, com as informações mais importantes como dados pessoais, endereço atual e renda. Além da renda do titular, ou seja, de quem vai financiar o imóvel, em alguns processos é possível apresentar uma comprovação de renda familiar. 

    Mas, como funciona? Vamos imaginar que o valor correspondente à parcela mensal do financiamento ultrapasse os 30% da sua renda apresentada. Caso você deseje incluir mais de uma comprovação (cônjuge, filho(a), pais, irmãos) poderá compor como renda da família. 

    Ebook organização financeira
    Ebook primeiro apartamento

    Nesse caso, além do seu nome, constará também o de todos os que contribuíram para comprovar a renda e ter o cadastro aprovado. Apesar do nome “renda familiar”, você pode incluir também comprovação de renda de pessoas sem grau de parentesco, lembrando que essas pessoas também farão parte do contrato. 

    A comprovação da renda potencializa a aprovação do financiamento e quanto maior for o valor apresentado, maiores são as chances de sucesso. As construtoras e instituições financeiras sabem o quanto é difícil adquirir um imóvel no Brasil e não medem esforços, dentro da legalidade, para facilitar a compra da casa própria.

    Quem pode financiar um imóvel?

    Na teoria, qualquer pessoa, maior de 18 anos poderia financiar um imóvel, no entanto, as exigências legais acabam filtrando o perfil de quem está apto a adquirir um imóvel. Entre elas está a comprovação de renda, que pode ser motivo de reprovação do cadastro.

    Além disso, a comprovação de renda está vinculada ao tipo de remuneração recebida pelo candidato a proprietário. Se você não tem uma emprego formal com registro CLT, mas é autônomo, trabalhador informal,  PJ ou MEI, para cada uma dessas modalidades há critérios mais específicos, veja:

    • Autônomo – se você é autônomo poderá comprovar a renda apresentando a Declaração Anual do Imposto de Renda e/ou extrato bancário de movimentação bancária da conta corrente e poupança dos últimos seis meses;
    • MEI – já se você é um Microempreendedor Individual deverá apresentar a Declaração do Imposto de renda pessoa física e jurídica com recibo de entrega no último exercício, além dos extratos bancários dos últimos seis meses e cópia do contrato Social da microempresa;
    • Empresários PJ – como dono de uma empresa você pode comprovar a renda apresentando o pró-labore (uma espécie de contracheque do PJ), a Declaração Comprobatória de Percepção dos Rendimento, os extratos bancários dos últimos seis meses e/ou a Declaração Anual do Imposto de Renda.;
    • Trabalhadores informais se você recebe uma renda informal que possibilita o financiamento de um imóvel, poderá comprovar a renda por meio da Declaração Anual do Imposto de Renda, caso não seja isento, a fatura do cartão de crédito e extrato bancários dos últimos seis meses.

    É possível fazer financiamento sem comprovar renda?

    De modo geral, a comprovação de renda é obrigatória para quem deseja financiar um imóvel a longo prazo. É garantia que a construtora ou instituição financeira tem de assegurar que o compromisso firmado será cumprido. 

    No entanto, caso você seja um correntista há muitos anos e tenha um bom relacionamento com o banco e uma movimentação bancária estável, em alguns casos pode ser que o financiamento seja aprovado sem a necessidade da comprovação de renda.

    Qual a documentação pedida para comprovar renda no financiamento imobiliário?

    Para apresentar uma proposta de compra e dar entrada no pedido de financiamento é preciso reunir uma série de documentos, além dos que ajudem na comprovação de renda. Em caso de composição de renda familiar, lembre-se de reunir os documentos de todos os envolvidos. 

    Caso o banco solicite, você já terá em mãos para agilizar o processo, por isso, preparamos a lista dos principais documentos:

    • documentos pessoais originais (RG e CPF)
    • certidões (de nascimento ou de casamento/união estável ou divórcio)
    • comprovante de residência
    • certidão conjunta negativa de débitos perante a União
    • em caso de uso do FGTS, cópia de carteira da carteira de trabalho, extrato do FGTS e autorização de movimento;
    • declaração Anual do Imposto de Renda com recibo de entrega do exercício anterior;
    • extrato bancário dos seis últimos meses;
    • fatura do cartão de crédito;
    • último contracheque;
    •  recibo de pró-labore.

    Como você viu, a comprovação de renda pode não ser tão difícil quanto você imaginava, entretanto, é fundamental planejar a despesa e se preparar para a solicitação do financiamento. Leve um pouco mais de tempo para reunir toda a documentação comprobatória e assim, aumentar suas chances de ter o financiamento aprovado da sua tão sonhada casa própria.

    Se você gostou do post, que tal aproveitar a visita e ler mais um artigo, dessa vez para saber quais os documentos necessários para financiar um imóvel!

    Lar dos sonhos



    Veja também