Encontre seu VIC

Como investir o 13º salário para sair do aluguel?

Você já pensou que pode usar o décimo terceiro salário para dar uma turbinada no seu sonho de sair do aluguel? Como esse é basicamente um dinheiro extra, planejando de forma inteligente dá para compor o valor de entrada do financiamento.   

Em vez de gastar com presentes de amigo oculto, por exemplo, presenteie você e a sua família com a oportunidade de comprar um apê em breve. Mesmo que não seja possível comprar de imediato, você pode guardar a grana e deixar render até na hora de fechar o negócio. 

A ideia deste post é orientar você de como fazer um investimento imobiliário na compra do seu apartamento usando o seu décimo terceiro salário. Continue lendo e veja como esse dinheiro pode fazer total diferença!

Como investir o décimo terceiro salário?

Quando chega o fim do ano, muitas pessoas ficam sem saber o que fazer com o 13º salário e acabam gastando de qualquer maneira. Acontece que essa é uma cifra considerável, que pode ser investida em algo mais consistente, como a casa própria

O primeiro apartamento a gente nunca esquece e esse parece um sonho distante para muitos brasileiros. Entretanto, com um bom planejamento financeiro, você pode traçar uma estratégia de juntar dinheiro por um tempo e dar de entrada no financiamento imobiliário. 

Como esse tipo de negócio envolve também muitas despesas extras como taxas de registro ou de impostos, o 13º pode ajudar nesse sentido. Sem contar que assim que sair o imóvel você vai querer mudar de imediato e terá também despesas com a mudança e entrega do imóvel alugado. 

Para considerar esse valor extra no seu projeto e dar adeus ao aluguel é fundamental desconsiderar o décimo terceiro no orçamento. Ou seja, fingir que esse valor não existe ou não está disponível para outra coisa senão compor o investimento imobiliário.

Como guardo o 13º salário para comprar meu primeiro apartamento?

Um dos maiores problemas de guardar dinheiro é ter acesso a ele na hora do aperto, por isso, a forma que você escolher para poupar o seu décimo terceiro é muito importante. Nada de se empolgar no final do ano e tirar uma parte para as festas de Natal e Ano Novo. 

Selecionamos algumas dicas do que você pode fazer com seu 13º salário dentro dos planos de se ver livre do aluguel e garantir a compra de um apê para chamar de seu. Confira!

Investir na poupança ou em produtos financeiros 

Se você deseja mesmo sair do aluguel, deve segurar o impulso, receber o extra e depositar logo em uma conta poupança. No mercado existem opções para investimento de médio prazo — além da poupança, você também pode considerar investir em produtos financeiros de renda fixa ou no Tesouro Direto. 

Os rendimentos podem até ser pequenos, mas ao final de um período costumam ajudar e muito na soma. É melhor fazer o dinheiro render do que gastar e depois não ter de onde tirar para aproveitar aquela oportunidade de ouro. 

Você não precisa entrar em um financiamento imobiliário imediatamente se não tiver condições de arcar com as parcelas, por exemplo. Contudo, quanto maior o valor da entrada, melhores serão as oportunidades para você adquirir sua casa própria. 

Por isso, além do 13º salário, no planejamento financeiro para o próximo ano você pode reservar uma parte do salário e destinar ao projeto da casa própria, poupando um pouco todos os meses, até que seja possível fechar o negócio.

Quitar dívidas e limpar o nome 

É importante lembrar que você só terá um financiamento aprovado se estiver com o nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito. Assim, o décimo terceiro pode ser também usado para quitar dívidas e liberar seu CPF, aumentando as chances de concessão do crédito imobiliário. 

Não adianta querer entrar em uma dívida nova sem quitar o que está pendente, até mesmo para validar seu perfil de bom pagador. Se não for possível eliminar toda a pendência, solicite uma renegociação e use o salário adicional para dar de entrada ou pagar as primeiras parcelas. 

Dessa forma você consegue evitar o aumento dos juros, limpar o nome e melhorar o score do Serasa para conseguir a aprovação no financiamento imobiliário. Qualquer quantia é importante para formar uma boa soma e diminuir os juros no restante que será parcelado.

Crie uma reserva de emergência

Vamos imaginar que você já esteja guardando dinheiro com o propósito de comprar seu apartamento e sair do aluguel. Em caso de um imprevisto, aquele dinheiro que você tira todos os meses para poupar pensando na casa própria, será usado na emergência. 

Com o décimo terceiro salário você pode ter uma reserva maior, paralela ao montante já destinado ao financiamento e assim, não precisar usar um dinheiro comprometido. Seja para a compra de um remédio, a manutenção do carro ou um tratamento dentário, o 13º é a economia que você precisa para não passar aperto diante do inesperado. 

Controle os gastos

Um dos principais inimigos da aquisição da casa própria é o descontrole de gastos e não adianta pensar que o 13º salário fala milagres. O valor pode até salvar algumas contas atrasadas ou servir para a composição do valor da entrada, mas a compra de um imóvel é um investimento de longa data, por isso, é preciso mudar o comportamento. 

Por isso, se você ou alguém da sua família for do tipo consumista, é a hora de mudar e começar a pensar nas prioridades. A melhor forma é na hora de comprar usar as 4 perguntinhas básicas da economia: 

  • Eu quero?
  • Eu preciso?
  • Eu posso?
  • Eu devo? 

Se todas as vezes, antes de tirar o dinheiro do bolso ou passar o cartão de crédito essas frases forem mentalizadas, a economia será bem expressiva. Essa é também uma forma de conter aquele desejo imenso de usar o décimo terceiro salário e comprar uma roupinha nova para passar o Réveillon ao lembrar que é uma versão não disponível. 

Gostou do post? Aproveite então a visita em nosso blog para saber tudo e ficar por dentro das principais informações sobre o crédito imobiliário no processo de financiamento de imóveis!




Veja também


Taxa de condomínio: Entenda o que é e como funciona

Taxa de condomínio: Entenda o que é e como funciona

A taxa de condomínio é um recurso essencial para a manutenção e o funcionamento da estrutura compartilhada pelos moradores de um prédio. No entanto, é uma despesa que ainda gera dúvidas em muitas pessoas, principalmente em relação ao uso e composição da mensalidade. É...