Financiamento imobiliário recusado? Veja o que pode causar e como evitar

Depois de decidir comprar um apartamento, procurar e escolher um imóvel, pesquisar sobre a reputação da incorporadora e construtora e buscar por uma boa condição de financiamento, chega o momento crucial desta trajetória: o financiamento imobiliário.

Dar entrada no financiamento do imóvel é um ato importante, que pode culminar na comemoração de uma grande conquista ou em um momento de muita decepção pelo sonho não realizado.

Saiba o que pode fazer o seu financiamento imobiliário ser recusado e previna-se com um bom planejamento e alguns cuidados essenciais para dar tudo certo na liberação do seu crédito imobiliário!

Acredite: é melhor evitar a recusa do financiamento imobiliário

Financiamento imobiliário recusado por critérios internos de crédito

Esta costuma ser a resposta padrão que as instituições financeiras dão nos casos de financiamentos imobiliários recusados. Infelizmente, ela pode significar qualquer coisa.

O banco não tem obrigação de explicar porque o financiamento não foi concedido.

Geralmente, o agente financeiro não esclarece o motivo da recusa para evitar constrangimentos e/ou eventuais insistências, pedidos de revisão ou reconsideração das informações. Ou seja, se, por qualquer motivo, o seu financiamento for recusado, dificilmente você saberá a razão.

Por isso, é importante saber quais são os critérios analisados pelos bancos e se prevenir.

Ter um financiamento recusado pode te deixar “de castigo”

Além de ser constrangedor e desagradável, ter um financiamento recusado significa jogar fora todo o trabalho que você teve para tentar comprar o imóvel, incluindo tempo e dinheiro.

Além disto, existe uma prática bancária que recusa automaticamente novos pedidos de financiamento de pessoas que tiveram um financiamento recusado nos últimos seis meses, ou seja, este é um dos critérios internos de crédito dos bancos. E ele pode “atrasar” bastante a sua vida.

Dê entrada em um financiamento imobiliário com chances de aprovação

Toda a documentação solicitada pelo banco é analisada criteriosamente e os dados podem e, geralmente, são cruzados para confirmação. Capriche na organização destes documentos.

Qualquer inconsistência ou indício de risco de crédito nestas informações pode “cair” nos famigerados critérios internos dos bancos.

As situações que, geralmente, podem colocar o seu financiamento em risco são:

1. Restrição cadastral

O famoso “nome sujo”, que pode ser configurado por algum apontamento negativo no CPF do proponente, é um dos principais motivos de recusa de financiamento imobiliário. Neste critério é analisado o documento do(s) proponente (s) e também do cônjuge, se houver, além do documento dos vendedores do imóvel.

Um apontamento negativo no CPF pode ser:

  • Restrição no Serviço Central de Proteção ao Crédito da Associação Comercial (SCPC)
  • Inclusão no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos do Banco Central (CCF);
  • Registro negativo no Sistema de Informações de Crédito do Banco Central (SCR);
  • Restrição no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC);
  • Histórico negativo na instituição financeira;
  • Inclusão no SERASA.

Estes apontamentos, normalmente, estão relacionados a compromissos financeiros não regularizados, como:

  • Inadimplência em financiamento de carro, busca e apreensão;
  • Limite de cheque especial utilizado acima do permitido;
  • Parcelas atrasadas de financiamento imobiliário;
  • Dívida no cartão de crédito;
  • Empréstimos atrasados;
  • Cheque sem fundos;
  • Contas não pagas;
  • Carnê em aberto.

Como se prevenir

Consulte a situação do seu CPF e dos demais envolvidos no contrato de compra e venda do imóvel antes de dar entrada no financiamento. Se houver algum apontamento, regularize a situação e certifique-se de que o CPF “está limpo” antes de pedir o crédito imobiliário.

2. Perfil de crédito e comprometimento da renda

O perfil de crédito, também conhecido como Credit Scoring, é uma “pontuação” que todo cidadão recebe do sistema financeiro. Ela indica se o proponente é um “bom pagador” e é um dos critérios que vai definir se o empréstimo será liberado ou não e quais serão as condições do financiamento, como taxas maiores ou menores, valor total financiado, etc.

O Credit Scoring é calculado com base no seu histórico financeiro, levando em conta sua pontualidade no pagamento de contas, inserção e retirada do seu CPF nos cadastros de proteção ao crédito e acúmulo de dívidas ao longo da vida.

Todas as financeiras, administradoras de cartão de crédito, bancos e órgãos de proteção ao crédito trocam informações entre si e também com o Banco Central. Isto significa que não adianta “mentir” nos formulários do financiamento, omitindo financiamentos em andamento, empréstimos adquiridos e outras dívidas existentes, mesmo que estejam em dia. O banco vai saber quanto você já está usando de crédito no mercado.

Como se prevenir

Evite a indisciplina com dinheiro, mantenha seu orçamento doméstico organizado e as contas em dia. Se você ainda não conseguiu fazer isso, comece um planejamento financeiro o mais rápido possível.

3. Comprovação de renda e bens de garantia

Entre os dados analisados para concessão de crédito estão: a renda mensal comprovada por holerite, declaração de imposto de renda ou pró-labore e a propriedade de bens que possam ser dados em garantia, no caso de inadimplência.

No caso da comprovação dos rendimentos, lembre-se que a prestação do financiamento não pode ser superior a 30% da renda.

Como se prevenir

Escolha um imóvel dentro da sua capacidade de pagamento, de acordo com a sua comprovação de renda, ou componha renda com outro proponente para solicitar o financiamento.

Caso você tenha uma renda incerta ou variável, é prudente anexar à documentação solicitada pelo banco os extratos bancários dos últimos seis meses para comprovar o valor médio da renda mensal.

Para comprovação de propriedade, certifique-se de ter o documento final de posse dos bens quitados, como CRLV atualizado em seu nome, no caso de veículos, e Matrícula Atualizada de Imóvel  em seu nome, no caso de imóveis.

Agora que você já conhece os fatores que causam a recusa do financiamento imobiliário, você pode se organizar melhor e planejar o seu pedido de crédito.

E então, já está tudo pronto para você dar entrada no seu financiamento imobiliário? Se você gostou das nossas dicas sobre como evitar a recusa do financiamento de imóveis, que tal compartilhar esse artigo nas redes sociais e ajudar outras pessoas a entenderem este processo também.




Veja também


Benefícios do Minha Casa Minha Vida

Benefícios do Minha Casa Minha Vida

A casa própria sempre foi um sonho da população, afinal, quem não deseja ter um cantinho pra chamar de seu? Com o objetivo de ajudar cada vez mais pessoas a conquistarem um imóvel, o governo criou, em 2009, o programa Minha Casa Minha Vida. Ele é o melhor facilitador...