4 dicas para você conseguir assumir o financiamento da casa própria

Na hora de comprar a casa própria, um dos momentos mais chatinhos é o do financiamento, né? É tanta coisa para se inteirar que dá um certo medo e tanto de fazer alguma coisa errada que possa comprometer o tão sonhado objetivo de conquistar seu primeiro imóvel.

Mas para que você não fique em apuros na hora de definir o financeiro, separamos algumas recomendações que te ajudarão nessa saga. Afinal de contas, não se trata simplesmente de consegui-lo. O mais importante está em dar conta de pagar aquilo que foi acertado.

1. Quanto antes, melhor

Não deixe para só ir atrás de um financiamento de imóvel quando achar a casa dos sonhos. Antes mesmo de começar a gastar sola de sapato para procurar o seu cantinho, você já pode ir atrás de um pedido de financiamento no banco. Assim, você conseguirá avaliar com mais calma quais melhores taxas de juros (ou seja, quanto terá de pagar a mais pelo tempo que pagará à instituição financeira em parcelas). Quanto antes tiver a aprovação, melhor para não ficar refém de financiamentos que só pareçam a única alternativa na hora que você encontrar seu apartamento, com juros bem maiores.

“Ah, mas se aprovar o financiamento e eu não tiver escolhido o apartamento?”, você pode se perguntar. É simples: nesse caso, o banco concede uma “carta de crédito” — uma espécie de documento que facilitará na hora da compra do seu imóvel.

2. Pesquisar, pesquisar e pesquisar muito

Não feche o financiamento no primeiro banco que você for. Embora o período de crise possa parecer mais difícil para ter um pedido aprovado, há uma procura menor de pessoas interessadas em comprar a casa própria. Por isso, antes de fechar o pedido após a primeira aprovação, tenha em mente se você conseguiu avaliar bem todas as opções disponíveis no mercado. Quanto menor a taxa de juros, menos dinheiro sairá do seu bolso e, por consequência, mais fácil de conseguir assumir o financiamento.

E lembre-se: o programa “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal, apresenta vantagens bem atrativas a quem deseja realizar o sonho de ter seu cantinho. Nesse sentido, apresenta condições bem vantajosas (com juros menores e, dependendo da renda, até um incentivo financeiro).

3. Não perca de vista boas alternativas

Caso você tenha alguns anos de trabalho com carteira assinada (ou faz pagamentos como autônomo ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço — FGTS), uma chance é recorrer a esses recursos, que podem ser utilizados na hora de comprar a casa própria. Ao buscar um banco, avalie também se é a melhor hora de utilizar a poupança e outras fontes que você tenha guardada. Dependendo da ocasião, pode ser usado em outro momento, para quitar parcelas, deixando sua situação mais tranquila para assumir o financiamento.

4. Avalie um sistema de prestações decrescentes

Na hora de assinar seu contrato, você terá que escolher entre duas tabelas de financiamento: a Price e a do Sistema de Amortização Constante (SAC). No primeiro modelo, o valor pago mensalmente é fixo durante todo o tempo de duração de seu compromisso com o banco (ou seja, se forem 360 meses serão quitados em 30 anos).

Mas, nesta modalidade, embora pareça mais vantajosa, o valor abatido é menor, fazendo dar uma diferença um pouquinho maior (na casa de 15%, em média) do que o valor de quem escolher a segunda tabela, chamada SAC. Nessa proposta, as parcelas são decrescentes: isto é, começam um pouco maior e vão reduzindo aos poucos.

Seguindo essas recomendações, você estará mais preparado para cumprir com o financiamento de sua casa própria, sem levar sustos.

VIC Engenharia

Somos especialistas em imóveis para o programa Minha Casa Minha Vida. Oferecemos empreendimentos diferenciados, prezando pela qualidade, segurança e responsabilidade social.

Veja também

Downloads

Baixe nosso material rico

Quem compara, compra VIC.

Saiba como comprar um imóvel com parcelas mais baratas que aluguel.
Receba dicas e promoções por email